Sinésio Campos aponta inviabilidades técnicas no projeto do velódromo de Manaus

  O deputado estadual Sinésio Campos (PT) aponta inviabilidades técnicas para competições oficiais e apresenta indicativo, na forma de requerimento, à Prefeitura de Manaus e equipe técnica para que sejam feitas adequações ao projeto de construção do velódromo (pista de corrida para ciclismo), executado pela Prefeitura, localizado no bairro da Compensa, região Centro Oeste da cidade. As observações foram apresentadas, na manhã desta quinta-feira (30), durante a Sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Documento que também será encaminhado à Federação de Ciclismo Amazonense (Feciclam). “Estamos fazendo uma crítica, mas também apontando soluções para adequações e evitar o desperdício de dinheiro público”, disse Sinésio. O deputado tomou como base as informações fornecidas por um grupo de ciclistas, organizado por Alailton Pinto dos Santos e Marcioney Pereira dos Santos, que receberam com entusiasmo o anúncio pela Prefeitura de Manaus da construção de um velódromo e uma quadra de tênis ao custo de R$ 2,7 milhões. Trata-se de um resgate do patrimônio esportivo que já existiu em Manaus e, inclusive, para trazer competições internacionais. “Mas, com o início das obras da pista, o que vemos é que está sendo construída é uma pista que não atende os requisitos oficiais e que não poderá receber competições nacionais e, muito menos, internacionais. Nem poderá ser utilizada para treinamentos, uma vez que também não atende a requisitos de segurança que a modalidade requer”, afirmam. De acordo com os ciclistas, os pontos a serem adequados são: o formato da pista que deve ser oval (possuir duas curvas e duas retas) e está sendo executada em forma quadrada (com quatro curvas e quatro segmentos de reta); as inclinações das curvas, que não estão adequadas aos padrões de velocidades que a modalidade pratica; está prevista a execução de uma mureta de alvenaria na parte interna da pista de aceleração, o que põe em risco a segurança dos usuários em caso de tombos; e, o comprimento da pista que deveria ser de 167 ou de 200 metros, para que sejam admitidas provas oficiais, no projeto executivo a mesma está com 188 metros, fora dos padrões olímpicos. Diante do desperdício de recursos que estão sendo aplicados em uma obra inviável, o deputado emitiu apelo ao prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) para que promova as adequações, que o projeto requer, e que possa realmente fomentar o desenvolvimento do ciclismo de pista em Manaus. “Do jeito que está sendo construído o velódromo, a Federação de Ciclismo não poderá autorizar competições oficiais. Mas os praticantes de ciclismo estão se colocando à disposição para esclarecer os pontos que foram listados e para que juntos possamos encontrar as soluções visando a construção do melhor velódromo com os recursos disponíveis”, afirma.   Histórico   O primeiro velódromo da cidade foi construído em 1899 no bairro da Cachoeirinha, patrocinado por um grupo de comerciantes locais que havia conhecido o Velódromo Recreio Paulistano. O primeiro do país, inaugurado em 1892, em São Paulo. Em 2019, decorridos exatos 120 anos, a Prefeitura Municipal de Manaus anunciou a iniciativa de resgatar um patrimônio do ciclismo do Amazonas, o início da construção de um Velódromo, com potencial de atrair grandes competições, com atletas e públicos de outras cidades, estados e de outros países.     Gabinete do Deputado Sinésio Campos (PT) Texto: Assessoria do Deputado Gabinete (92) 3183-4431 Jéssica Trajano (92) 99224-6013 Bergue Nogueira (92) 92 9156-7285 ascomsinesio@gmail.com      
31/07/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia